Estratificação de Risco Cardiovascular na Atenção Primária segundo Escore de Framingham.

Autores

  • Naira Pereira de Sousa Universidade de Brasilia
  • Maria Fátima de Sousa Universidade de Brasilia
  • Djane Elys Rene de Araújo
  • Walterlânia Silva Santos universidade de Brasilia
  • Luciano Ramos de Lima Universidade de Brasilia
  • Tania Cristina Santana Rehen Universidade de Brasilia

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v10i1.1862

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde. Fatores de Risco. Doença crônica

Resumo

Estratificar o risco cardiovascular em pacientes portadores de hipertensão arterial sistêmica, atendidos em Regional de Saúde no Distrito Federal. Método: Estudo de abordagem quantitativa, com amostra constituída por 51 usuários. Foi aplicado à amostra o Escore de Risco de Framingham que se baseia nos seguintes fatores preditores: idade, LDL (Low Density Lipoproteins) colesterol, HDL (High Density Lipoproteins) colesterol, pressão arterial, diabetes e tabagismo. Os dados foram analisados por meio de média aritmética, desvio-padrão, frequência absolutas e relativas. Resultados: 43,1% apresentou baixo risco, 41,2% moderado risco e 15,7% alto risco cardiovascular. Conclusão: Apesar do Escore de Risco de Framingham ser mais utilizado em cenários externos à Atenção Primária à Saúde a utilização do mesmo poderia ser incorporada aos processos de trabalho das equipes a fim de contribuir para a qualificação da assistência aos pacientes com doenças crônicas, em especial a hipertensão arterial sistêmica.

Biografia do Autor

Naira Pereira de Sousa, Universidade de Brasilia

Trabalho premiado com Menção Honrosa no I Simpósio do Grupo de Estudos Integrado da Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia

Djane Elys Rene de Araújo

Enfermeira. Secretaria de Saúde do Distrito Federal. Brasília, Brasil. E-mail:djane.elys@yahoo.com.br

Walterlânia Silva Santos, universidade de Brasilia

5 Doutora em Ciências. Professora Adjunta do Curso de Enfermagem da Universidade de Brasília. Brasília, Brasil. E-mail: walterlaniasantos@gmail.com

Luciano Ramos de Lima, Universidade de Brasilia

Doutorando PPCTS UNB/FCE e Mestre FEN/UFG. Professor Assistente do Curso de Enfermagem da Universidade de Brasília. Brasília, Brasil. E-mail: ramosll@unb.br

Tania Cristina Santana Rehen, Universidade de Brasilia

Doutora em Ciências. Professora Adjunta do Curso de Enfermagem da Universidade de Brasília. Brasília, Brasil. E-mail: tania.rehem@gmail.com

Referências

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação de Saúde. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não-transmissíveis (DCNT) no Brasil [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2011 [acesso em 10 de janeiro de 2015]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/plano_acoes_enfrent_dcnt_2011.pdf

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: hipertensão arterial sistêmica [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2013 [acesso em 10 de janeiro de 2015]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/estrategias_cuidado_pessoa_doenca_cronica.pdf

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Hipertensão Arterial Sistêmica para o Sistema Único de Saúde [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2006 [acesso em 10 de janeiro de 2015]. Disponível em: http://dab.saude.gov.br/docs/publicacoes/cadernos_ab/abcad15.pdf

Xavier HT, Izar MC, Faria Neto JR, Assad MH, Rocha VZ, Sposito AC, et al. V Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose. Arq Bras Cardiol [Internet]. 2013 [acesso em 10 de janeiro de 2015 ]; 101 (4 Suppl 1): S1-20. Disponível em: http://www.sbpc.org.br/upload/conteudo/V_Diretriz_Brasileira_de_Dislipidemias.pdf

Ministério da Saúde (BR). Conselho Nacional de Saúde. Resolução No 466 de 12 de dezembro de 2012: aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2012 [acesso em 10 de janeiro de 2015. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html

Sampaio MR, Melo MB, Wanderley MS. Estratificação do Risco Cardiovascular Global em pacientes atendidos numa Unidade de Saúde da Família (USF) de Maceió, Alagoas. Rev Bras Cardiol [Internet]. 2010 [acesso em 16 de fevereiro de 2015]; 23(1):47-56. Disponível em: http://sociedades.cardiol.br/socerj/revista/2010_01/a2010_v23_n01_05marcussampaio.pdf

Cavagioni L, Pierin AM. Risco Cardiovascular em profissionais de saúde de serviço de atendimento pré-hospitalar. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2012 [acesso em 16 de fevereiro de 2015]; 46(2):395-403. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v46n2/a18v46n2.pdf

Pimenta AM, Kac G, Souza RR, Ferreira LM, Silqueira SM. Trabalho noturno e risco cardiovascular em funcionários de universidade pública. Rev Assoc Med Bras [Internet]. 2012 [acesso em 16 de fevereiro de 2015]; 58(2): 168-77. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ramb/v58n2/v58n2a12

Gomes R, Rebello LEFS, Nascimento EF, Deslandes SF, Moreira MC. A atenção básica à saúde do homem sob a ótica do usuário: um estudo qualitativo em três serviços do Rio de Janeiro. Cien Saude Colet [Internet]. 2011 [acesso em 10 de janeiro de 2015]; 16(11):4513-21. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v16n11/a24v16n11.pdf

Figueiredo WS, Schraiber LB. Concepções de gênero de homens usuários e profissionais de saúde de serviços de atenção primária e os possíveis impactos na saúde da população masculina, São Paulo, Brasil. Cien Saude Colet [Internet]. 2011 [acesso em 10 de janeiro de 2015]; 16(1 supl 1):935-44. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v16s1/a25v16s1.pdf

Rehem, TCMSB, Ciosak SI, Egry EY. Ambulatory care sensitive conditions: general hospital of micro-region of São Paulo municipality, Brazil. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2012 [cited 2015 January 10]; 21(3):535-42. Available from: http://www.scielo.br/pdf/tce/v21n3/en_v21n3a07.pdf

Cesarino CB, Borges PP, Ribeiro RC, Ribeiro DF, Kusumota L. Assessment of cardiovascular risk in patients with chronic kidney disease according to Framingham's criteria. Acta Paul Enferm [Internet]. 2013 [cited 2015 January 10] ; 26(1):101-7. Available from: http://www.scielo.br/pdf/ape/v26n1/en_16.pdf

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2014 [acesso em 10 de janeiro de 2015]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/estrategias_cuidado_pessoa_doenca_cronica_cab35.pdf

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde, Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Vigitel Brasil 2010: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2011 [acesso em 10 de janeiro de 2015]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/vigitel_2010.pdf

Downloads

Publicado

2016-05-20

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS