Formação dos monitores do PRÓ-PET-SAÚDE a partir das necessidades de aprendizagem vivenciadas no PSE.

Autores

  • Francisca Lopes de Souza Assistente Social da Prefeitura Municipal de Sobral-CE
  • Márcia Maria Santos da Silva
  • Maria Socorro de Araújo Dias Universidade Estadual Vale do Acaraú.
  • Maristela Inês Osawa Vasconcelos Universidade Estadual Vale do Acaraú.
  • Cryslany Portela de Aguiar Universidade Estadual Vale do Acaraú.
  • Andressa da Rocha Evangelista
  • Francisco Timbó de Paiva Neto
  • Murilo Rocha de Moraes

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v9i1.1693

Resumo

Trata-se de um relato de experiência referente à formação dos monitores do PRÓ-PET-Saúde, a partir da definição de ações a serem desenvolvidas junto ao Programa Saúde na Escola (PSE). Tais ações evidenciaram lacunas de conhecimentos necessários, mas não supridas no âmbito da formação acadêmica, desencadeando um processo formativo com temáticas relacionadas à adolescência, à Estratégia Saúde da Família (ESF), além dos assuntos contidos nos componentes I e II do PSE. Foram realizadas oito oficinas temáticas, com referencial pedagógico da Educação Popular e Educação Permanente, baseadas na aprendizagem significativa e na indução de posturas crítico reflexivas. Este processo evidenciou a necessidade de ações/projetos que aproximem a formação e o trabalho em saúde, e possibilite o compartilhamento de saberes e práticas entre docentes, discentes, trabalhadores e usuários.

Biografia do Autor

Márcia Maria Santos da Silva

Possui graduação em Serviço Social pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), é especialista com caráter de Residência Multiprofissional em saúde da Família pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), e Mestre em Ensino na Saúde (UECE).

Maria Socorro de Araújo Dias, Universidade Estadual Vale do Acaraú.

Enfermeira. Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará - UFC (2005). Professora Adjunta do Curso de Enfermagem da Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA. Coordenadora Adjunta do Mestrado Profissional em Saúde da Família - RENASF/UVA.

Maristela Inês Osawa Vasconcelos, Universidade Estadual Vale do Acaraú.

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Estadual do Ceará (1992), mestrado e doutorado em Enfermagem, área de concentração saúde comunitária pela Universidade Federal do Ceará (2000 e 2007, respectivamente).

Cryslany Portela de Aguiar, Universidade Estadual Vale do Acaraú.

Estudante de Enfermagem da Universidade Estadual Vale do Acaraú, foi Monitora do PRÓ PET Saúde.

Andressa da Rocha Evangelista

Estudante de Enfermagem da Universidade Estadual Vale do Acaraú, foi Monitora do PRÓ PET Saúde.

Francisco Timbó de Paiva Neto

Educador Físico, foi monitor do PRÓ-PET Saúde da Universidade Estadual Vale do Acaraú, é Residente Multiprofissional em Saúde da Família na Escola de Formação em Saúde da Família e Universidade Estadual Vale do Acaraú.

Murilo Rocha de Moraes

Educador Físico, foi monitor do PRÓ-PET Saúde da Universidade Estadual Vale do Acaraú.

Referências

Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde: SGTES: políticas e ações. Série B. Textos Básicos de Saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2011.

Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde na escola. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Série B. Textos Básicos de Saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2009.

Feuerwerker, LCM.Educação na saúde: educação dos profissionais de saúde - um campo de saber e de práticas sociais em construção.Rev. Bras. Educ. Med. [online]. 2007; 3: 03-04.

Ceccim, RB. Educação permanente: desafio ambicioso e necessário. Interface. set.2004/fev/2005; 9 (16): 161-77.

Monken, M; Barcelos, C. Vigilância em saúde e território utilizado: possibilidades teóricas e metodológicas. Cad. Saúde Pública [online] 2005; v.21, n. 3; p. 898-906. [Acesso em: 03 de setembro de 2014]. Disponível em:

Silva MMP. Efetividade da Residência Multiprofissional em Saúde da Família: uma análise a partir do quadrilátero da formação para a área da saúde. Fortaleza. Dissertação [Mestrado em Ensino na Saúde] - Universidade Estadual do Ceará; 2014.

Junqueira, LAP, Inojosa, RM. Desenvolvimento social e intersetorialidade: a cidade solidária. São Paulo:FUNDAP;1997.

Vasconcelos, E M. Educação popular: instrumento de gestão participativa dos serviços de saúde Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Caderno de educação popular e saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2007.

Feuerwerker LCM, Sena, RR. Interdisciplinaridade, trabalho multiprofissional e em equipe: sinônimos? Como se relacionam e o que têm a ver com a nossa vida? Rev Olho Mágico 1999 Mar; 5(18): 5-6.

Feuerwerker, LCM. Micropolítica e saúde: produção do cuidado, gestão e formação. Porto Alegre: Rede Unida; 2014 (Coleção Micropolítica do trabalho e o cuidado em saúde).

Freire, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 23a ed. São Paulo: Paz e Terra; 2002.

Downloads

Publicado

2015-08-29

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)