Aprendizagens Compartilhadas na Residência Multiprofissional em Saúde

Autores

  • Maira Gabriela Perego Enfermeira Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de São Paulo – Campus Baixada Santista. Professora Adjunta/Profissional III, do Instituto de Ciências da Saúde dos cursos de Enfermagem e Nutrição da Universidade Paulista – UNIP, Aararaquara – SP. Brasil.
  • Nildo Alves Batista Médico Doutor em Medicina (Pediatria) pela Universidade de São Paulo – USP. Professor Titular, do Departamento Saúde, Educação e Sociedade da Universidade Federal de São Paulo – Campus Baixada Santista (Santos) – SP. Brasil. Livre-Docente em Educação Médica pela Universidade Federal de São Paulo, São Paulo – SP. Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v11i1.2239

Palavras-chave:

Educação em Saúde, Educação de Pós-Graduação, Equipe de Assistência ao Paciente, Aprendizagem, Prática Profissional.

Resumo

Este artigo buscou investigar sobre a percepção de residentes, preceptores e tutores da Residência Multiprofissional em Atenção à Saúde (RMAS) sobre as aprendizagens compartilhadas na formação para o trabalho em equipe de profissionais da saúde. Utilizou-se uma metodologia exploratória, descritivo-analítica, tipo corte transversal com abordagem quantitativa. A pesquisa foi realizada junto à residentes egressos, preceptores e tutores do Programa de RMAS, por intermédio de uma escala atitudinal validada estatisticamente. A média das asserções da escala atitudinal foi de 3,20, classificadas em zona de conforto, no entanto existem pontos de maior e menor concordância entre os respondentes que culminam em pontos importantes de discussão. A RMAS é um espaço de aprendizagens compartilhadas que desenvolve nos profissionais de saúde habilidades para trabalharem em equipe, a partir da educação interprofissional.

Biografia do Autor

Maira Gabriela Perego, Enfermeira Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de São Paulo – Campus Baixada Santista. Professora Adjunta/Profissional III, do Instituto de Ciências da Saúde dos cursos de Enfermagem e Nutrição da Universidade Paulista – UNIP, Aararaquara – SP. Brasil.

Enfermeira Doutoranda em Enfermagem (UFSCAR). Mestre em Ciências da Saúde(UNIFESP-BS). Pós-Graduada em Atenção à Saúde, na modalidade Residência Multiprofissional, UNIFESP-BS. Docente do curso de Enfermagem, Universidade Paulista.

Nildo Alves Batista, Médico Doutor em Medicina (Pediatria) pela Universidade de São Paulo – USP. Professor Titular, do Departamento Saúde, Educação e Sociedade da Universidade Federal de São Paulo – Campus Baixada Santista (Santos) – SP. Brasil. Livre-Docente em Educação Médica pela Universidade Federal de São Paulo, São Paulo – SP. Brasil.

Médico Doutor em Medicina (Pediatria) pela Universidade de São Paulo – USP. Professor Titular, do Departamento Saúde, Educação e Sociedade da Universidade Federal de São Paulo – Campus Baixada Santista (Santos) – SP. Brasil. Livre-Docente em Educação Médica pela Universidade Federal de São Paulo, São Paulo – SP. Brasil. Diretor do Centro de Desenvolvimento do Ensino Superior em Saúde (CEDESS) da Universidade Federal de São Paulo, São Paulo – SP. Brasil. Vice-Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ensino em Ciências da Saúde, nível mestrado, modalidade profissional, da Universidade Federal de São Paulo, São Paulo – SP. Brasil. Professor orientador do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências da saúde, níveis mestrado acadêmico e doutorado, da Universidade Federal de São Paulo – Campus Baixada Santista (Santos) – SP. Brasil.

Referências

Brasil. Secretaria de Educação Superior. Resolução CNRMS Nº 2, de 13 de abril de 2012. Dispõe sobre Diretrizes Gerais para os Programas de Residência Multiprofissional e em Profissional de Saúde. Diário Oficial da União, 16 abr 2012. Poder Executivo, Brasília, DF; Seção I, p.24-25.

Brasil. Ministério da Saúde (2016). Portal Brasil. Ministério aprova 500 novas bolsas de residência para profissionais de saúde. [publicação online]; 2016 [acesso em 20 jun 2016]. Disponível em: http://www.brasil.gov.br/saude/2016/01/ministerio-aprova-500-novas-bolsas-de-residencia-para-profissionais-de-saude

Batista NA. Educação interprofissional em saúde: concepções e práticas. Caderno FNEPAS. 2012; 2: 25-28.

Organização Mundial da Saúde. Marco para ação em educação interprofissional e prática colaborativa. Genebra: OMS; 2010.

Committee on the Robert Wood Johnson Foundation Initiative on the Future of Nursing, at the Institute of Medicine. The future of nursing: leading change, advancing health. Washington, DC: National Academies Press; 2011.

Ferreira BJ. Inovações na formação médica: reflexos na organização do trabalho pedagógico (Tese doutorado). Campinas, São Paulo; 2004.

Ferreira BJ, Batista SH, Batista NA. O Processo de ensino/aprendizagem no mestrado profissional - MP-Norte: análise de uma experiência. IX Congreso Internacional sobre Investigación en Didáctica de las Ciencias. Girona. 2013 septiembre 9-12. p 1246-1251.

Moraes SG, Justino ML, Jansen BF, Barbosa EP, Bruno LFC, Pereira LAV. Development and validation of strategy to assess teacching methods in undergraduate disciplines. In: Progress in Education. 2012. Volume 28. Nova Science Publishers.

Peduzzi M, Norman IJ, Germani ACCG, Silva JAM, Souza GC. Educação interprofissional: formação de profissionais de saúde para o trabalho em equipe com foco nos usuários. Rev Esc Enferm USP. 2013; 47 (4): 977-83.

Aguilar-da-Silva RH, Scapin LT, Batista NA. Avaliação da formação interprofissional no ensino superior em saúde: aspectos da colaboração e do trabalho em equipe. Avaliação (Campinas). 2011; 16 (1): 167-184.

Pinho MCG de. Trabalho em equipe de saúde: limites e possibilidades de atuação eficaz. Cienc. Cognição. 2006; 8: 68-87.

Campos GW de S, Domitti AC. Apoio matricial e equipe de referência: uma metodologia para gestão do trabalho interdisciplinar em saúde. Cad. Saúde Pública. 2007; 23(2): 399-407.

Cardoso CG. Trabalho em equipe multiprofissional: relações interprofissionais e humanização da assistência hospitalar em doenças infecciosas (Dissertação). Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP): Rio de Janeiro; 2010. 182p.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Gestão. Acolhimento na Gestão e o Trabalho em Saúde. 1. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2016. 30p.

Publicado

2017-07-14