Residência multiprofissional em saúde e o mundo do trabalho do fisioterapeuta.

Autores

  • Mariana Lisboa Costa Mestre em Gestão da Clínica, fisioterapeuta e apoiadora institucional da Diretoria de Atenção Básica – Secretaria de Saúde do Estado da Bahia.
  • Roseli Ferreira da Silva Doutora em Saúde Pública, enfermeira e docente do Departamento de Medicina e do Mestrado em Gestão da Clínica – Universidade Federal de São Carlos.
  • Valéria Vernaschi Lima Doutora em Saúde Pública, médica e docente do Mestrado em Gestão da Clínica - Universidade Federal de São Carlos.
  • Márcia Niituma Ogata Doutora em Enfermagem Fundamental, enfermeira e professora associada do Departamento de Enfermagem - Universidade Federal de São Carlos.

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v11i1.2025

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde, Fisioterapia, Residência Multiprofissional em Saúde, Saúde da Família

Resumo

Este estudo analisou as experiências de fisioterapeutas egressos de um programa de residência multiprofissional em saúde da família e comunidade - RMSFC, visando verificar as repercussões desta Residência na prática profissional. Realizou-se um estudo de caráter qualitativo, por meio da técnica de História Oral (HO). As entrevistas foram transcritas, transcriadas e submetidas à análise utilizando o método da interpretação dos sentidos. Por meio da análise e articulação das temáticas encontradas, constatou-se que a residência teve um importante papel na formação profissional dos fisioterapeutas, principalmente na consolidação de princípios voltados à humanização e integralidade do cuidado em saúde. Indica ainda a necessidade de mais investimentos nesse tipo de formação, bem como em mudanças na graduação tomando como base o perfil profissional segundo as Diretrizes Curriculares Nacionais.

Referências

Haddad AE, Brenelli SL, Cury GC, Puccini RF, Martins MA, Ferreira JR et al. Pró-Saúde e PET-Saúde: a construção da política brasileira de reorientação da formação profissional em saúde. Rev. bras. educ. med. [online]. 2012;36(1):03-04.

Brasil. Ministério da Saúde. Residência Multiprofissional em Saúde: experiências, avanços e desafios. Série B. Textos Básicos de Saúde. Brasília, DF: Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Departamento de Gestão da Educação na Saúde, 2006.

Ufscar. Manual da Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade 2012-2014/ Universidade Federal de São Carlos, Prefeitura Municipal de São Carlos. – São Carlos: RMSFC/UFSCar, 2012.

Toferri, MN. O perfil do egresso e as percepções na mudança da prática profissional: contribuições do curso de Especialização em Saúde da Família UNASUS/UNIFESP. [dissertação]. São Paulo (SP): Universidade Federal de São Paulo; 2015.

Sancha, CCM. A trajetória dos egressos do Programa de Aprimoramento Profissional: quem são e onde estão os enfermeiros, fisioterapeutas e psicólogos dos anos de 1997 e 2002. [dissertação]. São Paulo (SP): Universidade de São Paulo; 2008.

Meihy JCSB. Manual de História Oral. 4a ed. Revista e ampliada. São Paulo: Loyola; 2002.

Meihy JCSB, Holanda F. História Oral: como fazer, como pensar. São Paulo: Contexto; 2007.

Gomes R, Souza ER, Minayo MCS, Malaquias JV, Silva CFR. Organização, processamento, análise e interpretação de dados: o desafio da triangulação. In: MINAYO MCS, ASSIS SG, SOUZA ER, organizadores. Avaliação por triangulação de métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2005.

Gomes R. Análise e interpretação de dados de pesquisa qualitativa. In: MINAYO MCS, organizador. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Editora Vozes; 2007.

Cunha GT. A construção da clínica ampliada na Atenção Básica [dissertação]. Campinas (SP): Universidade Estadual de Campinas; 2004.

Freire P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 39a ed. São Paulo: Paz e Terra; 1996.

Almeida AB. A graduação em fisioterapia no contexto da formação de profissionais para o sistema de saúde no Brasil: um olhar sobre o curso da Universidade Federal de São Carlos [dissertação]. São Carlos (SP): Universidade Federal de São Carlos; 2011.

Sousa C. O desenvolvimento curricular do curso de fisioterapia em uma instituição de ensino superior do interior do estado da Bahia – um estudo de caso do tipo etnográfico [dissertação]. Salvador (BA): Universidade Católica do Salvador; 2011.

Freitas MS. A Atenção Básica como campo de atuação da Fisioterapia no Brasil: as Diretrizes Curriculares resignificando a prática profissional [tese]. Rio de Janeiro (RJ): Universidade do Estado do Rio de Janeiro; 2006.

Rezende M, Moreira MR, Amâncio Filho A, Tavares MFL. A equipe multiprofissional da ‘Saúde da Família’: uma reflexão sobre o papel do fisioterapeuta. Cien Saude Colet. 2009;14(Sup1):1403-1410.

Silva DJ, Ros MA. Inserção de profissionais de fisioterapia na equipe de saúde da família e Sistema Único de Saúde: desafios na formação. Cien Saude Colet. 2007;12(6):1673-1681.

Haas CM, Nicida DP. Projeto pedagógico interdisciplinar na e para a formação do fisioterapeuta: dialogando com as diretrizes curriculares. Rev. Teoria e Prática da Educação. 2009;12(1):17-23.

Silva QTA, Caballero RMS. A micropolítica da formação profissional na produção do cuidado: devir-residência. In: Fajardo AP, Rocha CMF, Pasini VL, organizadores. Brasil. Ministério da Saúde. Grupo Hospitalar Conceição. Residências em saúde: fazeres & saberes na formação em saúde. Porto Alegre: Hospital Nossa Senhora da Conceição. 2010.

Camões LV. Os Lusíadas. 15a ed. São Paulo: Scipione; 2008.

Minayo MCS. O Desafio do Conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 11a ed. São Paulo: Hucitec; 2008.

Rodrigues N. A Vida como ela é. Rio de Janeiro: Agir; 2006.

Campos GWS. Um método para análise e cogestão de coletivos. São Paulo: Hucitec; 2000.

Feuerwerker LCM. Educação dos profissionais de saúde hoje: problemas, desafios, perspectivas e as propostas do Ministério da Saúde. Revista da Abeno. 2003;3(1):24-27.

Publicado

2017-07-14