A IMPLANTAÇÃO DA SAÚDE BUCAL NO PROGRAMA CONSULTÓRIO NA RUA EM CURITIBA-PR

Autores

  • Rebeca Alves Lins de Albuquerque Universidade Federal do Paraná
  • Anna Cristina da Silva Nascimento
  • Rosane Souza Freitas
  • Adriane Wollmann
  • Ruann Oswaldo Carvalho da Silva Universidade Federal do Paraná
  • Rafael Gomes Ditterich

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v13i3.2643

Palavras-chave:

Consultório na Rua. Política de Saúde. População em situação de Rua.

Resumo

A população em situação de rua, ao longo dos anos, sofreu um processo de exclusão social, que os impossibilitou o acesso ao sistema de saúde de forma convencional, seja por falta de documentos de identificação, falta de sensibilidade da equipe ou a inabilidade de um único local em atender à variedade de problemas apresentados pelos moradores de rua. Também vale ressaltar que essa população apresenta diversas demandas e necessidade de saúde acumuladas, destacando dentre elas os problemas de saúde bucal. Deste modo, o presente estudo tem como objetivo relatar a experiência da inclusão da saúde bucal no Programa Consultório na Rua (PCR) de Curitiba-PR. Para atingir tal finalidade utilizou-se de pesquisa documental e entrevista semiestruturada para análise qualitativa dos dados. Concluiu-se que a inclusão de profissionais da saúde bucal na equipe multiprofissional do Programa Consultório na Rua tem sido de fundamental importância, pois permite estreitamento do vínculo e maior adesão ao tratamento por parte da população em situação de rua. A experiência de Curitiba-PR tem revelado que a aproximação da saúde bucal a população em situação de rua, é um importante fator no resgaste da autoestima e reinserção social dessa população.

Referências

Teixeira M, Fonseca Z. Saberes e práticas na atenção primária à saúde: cuidados à população em situação de rua e usuários de álcool, crack e outras drogas. 263 p, São Paulo: Hucitec, 2015.

Brasil. Decreto nº 7053, de 23 de dezembro de 2009. Institui a Política Nacional para a População em Situação de Rua e seu Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 23 de dezembro de 2009.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Estimativa da População em Situação de Rua no Brasil. 2016 [Internet]. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/26102016td_2246.pdf

Brasil. META - Instituto de Pesquisa de Opinião Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Pesquisa Nacional Sobre a População em Situação de Rua. Brasília – DF, 2008.

Aguiar MM, Iriart JAB. Significados e práticas de saúde e doença entre a população em situação de rua em Salvador, Bahia, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro - RJ, v. 28, n.01, p. 115-124, 2012.

Brasil. Ministério da Saúde - Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual sobre o cuidado à saúde junto a população em situação de rua. Brasília, DF, 2012.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 122, de 25 de janeiro de 2011. Define as diretrizes de organização e funcionamento das Equipes de Consultório na Rua. Diário Oficial da União, Brasília - DF, 2011.

Brasil. Presidência da República. Casa Civil. Decreto n. 7.053, de 23 de dezembro de 2009. Institui a Política Nacional para a População em Situação de Rua e seu Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento, e dá outras providências, Brasília - DF, 2009.

Kami MTM, Larocca LM, Chaves MMN, Piosiadlo LCM, Albuquerque GS. Tool and ideological knowledge in Street Outreach Office working process. Rev Esc Enferm USP; v. 50, n.3, p. 440-447, 2016.

Wollmann A, Massuda A, Neto PP, Ros C, Lowen IMV. O cuidado em saúde da população em situação de rua. In: Moysés SJ, Silveira Filho AD. A gestão participativa na saúde de Curitiba / organizado por Curitiba: Instituto Municipal de Administração Pública, 2016.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 123, de 25 de janeiro de 2012. Define os Critérios de Cálculo do Número Máximo de Equipes de Consultório na Rua (eCR) por Município. Diário Oficial da União, Brasília - DF, 2012b.

Turato ER. Métodos qualitativos e quantitativos na área da saúde: definições, diferenças e seus objetos de pesquisa. Revista Saúde Pública. 2005.

Bardin L. Análise de conteúdo (L. de A. Rego & A. Pinheiro, Trads.). Lisboa – Portugal; Edições 70, 2006 (Obra original publicada em 1977).

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Normas Regulamentadoras que dispõe sobre os estudos em seres humanos. Brasília – DF,2012.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.517, de 11 de novembro de 2014. Credencia Municípios a receberem incentivos referentes às equipes de Consultório na Rua, que compõe o Bloco da Atenção Básica. Diário Oficial da União, Brasilia – DF,2014.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 1029, 20 de maio de 2014. Amplia o rol das categorias profissionais que podem compor as Equipes de Consultório na Rua em Suas Diferentes Modalidades e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília - DF, 2014.

Hallais JAS, Barros N.F. Consultório na Rua: visibilidades, invisibilidades e hipervisibilidade. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.31, n.7, p.1497-1504, 2015.

Costa JP, Jorge MSB, Vasconcelos MGF, Paula ML, Bezerra IC. Resolubilidade do cuidado na atenção primária: articulação multiprofissional e rede de serviços. Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 38, n. 103, p. 733- 743, out./dez., 2014.

McErlain M, Newton T, Jeremiah HG. Does Dental Appearance Affect Employment Prospects: A Prospective Cross-sectional Study. J Orthod. 2018 Jun;45(2):71-78.

Engstrom EM, Teixeira MB. Equipe “Consultório na Rua” de Manguinhos, Rio de Janeiro, Brasil: práticas de cuidado e promoção da saúde em um território vulnerável. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 6, p. 1839-1848, June 2016.

Silva LMA, Monteiro IS, Araújo ABVL. Saúde bucal e consultório na rua: o acesso como questão central da discussão. Cad. Saúde Colet., 2018, Rio de Janeiro, 26 (3): 285-291.

Downloads

Publicado

2020-07-03

Edição

Seção

RELATO DE EXPERIÊNCIA