Práticas transversais do Apoiador Institucional em territórios de produção de saúde

Autores

  • Camila Cristina de Oliveira Rodrigues Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
  • Sergio Resende Carvalho Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v11i3.2420

Palavras-chave:

Gestão em Saúde, Apoio ao Planejamento em Saúde, Saúde Pública, Saúde Mental, Relatos de Casos

Resumo

O trabalho de Apoio tem cumprido um papel relevante que pode ser assumido de distintas formas e em diferentes coletivos. Pretendemos neste ensaio, apresentar a experiência do Apoiador Institucional e seu fazer na rede de saúde da cidade de Campinas, São Paulo, Brasil. Discutiremos mais especificamente a prática de apoio que vem sendo desenvolvida junto à Rede de Atenção Psicossocial e algumas estratégias utilizadas pelos profissionais para desempenhar esse trabalho pioneiro. Nesse sentido, destacamos ações como a discussão de casos, a realização de atendimentos compartilhados e o acompanhamento de visitas domiciliares como ferramentas fundamentais do trabalho desempenhado pelo Apoiador Institucional. Buscamos compartilhar a prática que atravessa essa experiência por meio da apresentação de um relato de caso articulado pelo fazer do apoiador. Com base nas concepções dos pensadores da diferença, essa experiência foi cartografada aos moldes de uma narrativa e nos permitiu constatar o caráter transversal do trabalho do apoiador e a potencialidade de produção de redes presente nessa prática.

Biografia do Autor

Camila Cristina de Oliveira Rodrigues, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Psicóloga formada pela Universidade Estadual Paulista (UNESP - Campus de Assis/SP), Especialista em Saúde Mental pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Gestora do CAPS ad III Independência do município de Campinas/SP e Mestra em Saúde Coletiva pela Faculdade de Ciências Médicas (UNICAMP).

Sergio Resende Carvalho, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Médico formado pela Universidade de Minas Gerais (UFMG). Docente do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas FCM - UNICAMP. Coordenador da Linha de Pesquisa Política da Subjetividade.

Referências

Campos GWS. Equipes de referência e apoio especializado matricial: um ensaio sobre a reorganização do trabalho em saúde. Ciência e Saúde Coletiva. 1999; 4 (2): 393-403.

Pena RS. O Apoio institucional como estratégia de gestão em coletivos na saúde mental [tese]. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas; 2012.

Oliveira GN. Devir apoiador: uma cartografia da função apoio. [tese]. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas; 2011.

Dorsa M. Saúde mental na atenção básica: um estudo hermenêutico-narrativo sobre o apoio matricial no SUS Campinas [Dissertação]. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas; 2006.

Campos GWS. Paidéia e gestão: um ensaio sobre o Apoio Paidéia no trabalho em saúde. 2003. Available from:

Campos GWS. Um método para análise e co-gestão de coletivos. São Paulo: Hucitec; 2013.

Franco TB, Merhy EE. Produção Imaginária da Demanda. In: Pinheiro R, Mattos RA. (orgs.). Construção Social da Demanda. Rio de Janeiro: IMS/UERJ-CEPESC-ABRASCO; 2005.

Souza TP. A norma da abstinência e o dispositivo drogas: direitos universais em dispositivos marginais de produção de saúde [tese]. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas; 2013.

Rodrigues CCO. Uma genealogia dos anormais na contemporaneidade: ensaios sobre alguns processos de judicialização que atravessam a Rede de Atenção Psicossocial [dissertação]. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas; 2017.

Passos E, Kastrup V, Escóssia L (Orgs.). Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Editora Sulina; 2009.

Guatarri F. As três ecologias. Campinas: Papirus; 2001. Available from: < http://claudioulpiano.org.br.s87743.gridserver.com/wpcontent/uploads/2012/04/guattari-as-tres-ecologias3.pdf>

Guatarri F. Psicanálise e Transversalidade: ensaios de análise institucional. São Paulo: Ideias & Letras; 2004.

Guatarri F, Rolnik S. Micropolítica: cartografias do desejo. Rio de Janeiro: Vozes; 1993.

Merhy EE. O ato de governar as tensões constitutivas do agir em saúde como o desafio permanente de algumas estratégias gerenciais. Available from: <http://www.uff.br/saudecoletiva/professores/merhy/indexados-10.pdf>

Foucault M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal; 1986. A governamentalidade; p. 163-72.

Merhy EE. O cuidado é um acontecimento e não um ato. Available from: < http://www.uff.br/saudecoletiva/professores/merhy/capitulos-17.pdf>

Publicado

2018-04-13

Edição

Seção

RELATO DE EXPERIÊNCIA