Os desafios da interprofissionalidade na Residência Multiprofissional em Saúde: Notas sobre a experiência do Programa de Residência Multiprofissional em Rede de Atenção Psicossocial (UNIFESP)

Autores

  • Fernando Sfair Kinker Universidade Federal de São Paulo -Departamento Saúde, Clinica e Instituições - curso de Terapia Ocupacional
  • Maria Inês Badaró Moreira Universidade Federal de São Paulo -Departamento de Políticas Públicas e Saúde Coletiva -curso de psicologia
  • Maria Inês Badaró Moreira Universidade Federal de São Paulo -Departamento de Políticas Públicas e Saúde Coletiva -curso de psicologia
  • Carla Bartuol Universidade Federal de São Paulo -curso de psicologia - Departamento Saúde, Clínica e Instituições
  • Carla Bertuol Universidade Federal de São Paulo - Departamento Saúde, Clínica e Instituições -curso de psicologia

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v10i4.2036

Palavras-chave:

residência multiprofissional, ensino, saúde mental, rede de atenção psicossocial

Resumo

Este artigo apresenta um relato da experiência do Programa de Residência Multiprofissional em Rede de Atenção Psicossocial da Universidade Federal de São Paulo em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, Santos - SP. Analisa os desafios de se produzir o cuidado em saúde de modo interprofissional e interdisciplinar em busca de superar práticas especialistas e abrir espaços para o trabalho em rede. Discute a importância dos serviços como espaços para aprender-ensinar para o trabalho em saúde no SUS e o seu papel em manter o conhecimento em saúde mental vivo e em movimento de produção. Defende a necessidade de se manter vivos os desafios da formação em serviço como direção às investidas contínuas de promover práticas inovadoras para o trabalho em saúde.

Biografia do Autor

Fernando Sfair Kinker, Universidade Federal de São Paulo -Departamento Saúde, Clinica e Instituições - curso de Terapia Ocupacional

Professor adjunto do Curso de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Paulo -Departamento Saúde, Clinica e Instituições.

Maria Inês Badaró Moreira, Universidade Federal de São Paulo -Departamento de Políticas Públicas e Saúde Coletiva -curso de psicologia

Professora Adjunta do curso de psicologia da Universidade Federal de São Paulo - Departamento de Políticas Públicas e Saúde Coletiva

Maria Inês Badaró Moreira, Universidade Federal de São Paulo -Departamento de Políticas Públicas e Saúde Coletiva -curso de psicologia

Professora Adjunta do curso de psicologia da Universidade Federal de São Paulo - Departamento de Políticas Públicas e Saúde Coletiva

Carla Bartuol, Universidade Federal de São Paulo -curso de psicologia - Departamento Saúde, Clínica e Instituições

Professora Adjunta do curso de psicologia da Universidade Federal de São Paulo - Departamento Saúde, Clínica e Instituições

Carla Bertuol, Universidade Federal de São Paulo - Departamento Saúde, Clínica e Instituições -curso de psicologia

Professora Adjunta do curso de psicologia da Universidade Federal de São Paulo - Departamento Saúde, Clínica e Instituições

Referências

Referências

Feuerwerker LCF, Capozzolo AA. Mudanças na formação dos profissionais de saúde: alguns referenciais de partida do eixo Trabalho em Saúde. In: Capozzolo AA, Casetto SJ, Henz AO. Clinica Comum: itinerários de uma formação em saúde. São Paulo: Hucitec Editora, 2013. p. 35-58

Morin E. Meu caminho. Trad. Edgard de Assis Carvalho e Mariza Perassi Bosco. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010. p. 189-567.

Morin E. Os desafios da complexidade. In: MORIN, E. A religação dos saberes: Jornadas temáticas idealizadas e dirigidas por Edgard Morin. Trad. Flávia Nascimento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001. p. 559-67.

Uchôa-Figueiredo LR, Rodrigues TF, Dias IMAV (Org.). Percursos interprofissionais: formação em serviços no Programa Residência Multiprofissional em Atenção à Saúde. Porto Alegre: Editora Rede Unida, 2016.

Capozzolo AA, Casetto SJ, Henz AO. Clinica Comum: itinerários de uma formação em saúde. São Paulo: Hucitec Editora, 2013

Universidade Federal de São Paulo. Projeto Político Pedagógico dos cursos de Educação Física, Fisioterapia, Nutrição, Psicologia e Terapia Ocupacional. São Paulo. Unifesp, 2006. Disponivel em < http://www2.unifesp.br/homebaixada/projetopedagogico_baixada.pdf>. Acesso em 25.01.2017.

Brasil. Portaria 3088, de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidade decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde. Brasília; 2011.

Brasil. Ministério da Saúde. Lei n. 10.216, de 6 de abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Diário Oficial da União, seção 1.

Kinker FS. Ferramentas potentes da Atenção Psicossocial: as redes de apoio à autonomia e o trabalho no território. In: Boing AF, Assis FB. Alcool e outras drogas: da correção à coesão. Santa Catarina: Universidade Federal de Santa Catarina/Ministério da Saúde. p. 131-151.

Brasil. Ministério da Saúde. Decreto n. 80.281, de 05 de setembro de 1977. Regulamentação da Residência Médica e criação da comissão Nacional de residência medica. Brasília, DF, 1977.

Ceccim, R. B.; Armani, T. B. Educação em saúde coletiva: papel estratégico na gestão do SUS. Saúde para Debate, Rio de Janeiro, n. 23, p. 30-56, 2001

Brasil. Diário Oficial. Portaria Interministerial n. 2. 117, de 3 de novembro de 2005. Institui no âmbito dos Ministérios da Saúde e da Educação a Residência Multiprofissional em Saúde e dá outras providencias. Diário Oficial da União, Brasilia, DF, 2005.

Campos G W. Saúde pública e saúde coletiva: campo e núcleo de saberes e práticas. Ciência & Saúde Coletiva, 5(2):219-230, 2000.

Basaglia F. As instituições da violência. In: BASAGLIA, F. (Org.). A instituição negada. Trad. Heloísa Jahn. 3. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2001. p. 99-133.

Morin E. O método 4: As ideias, hábitat, vida, costumes, organização. 3. ed. Trad. Juremir Machado da Silva. Porto Alegre: Sulina, 2002. 320 p.

Almeida Filho N. Transdisciplinaridade e o Paradigma Pós-Disciplinar na Saúde. Saúde e Sociedade v.14, n.3, p.30-50, set-dez 2005.

Rotelli F. A instituição inventada. Trad. Maria Fernanda de Silvio Nicácio. In: NICÁCIO M. F. S. (Org.). Desinstitucionalização. São Paulo: Hucitec, 1990. p. 89-100.

Bondiá JL. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, n. 19, Jan/Fev/Mar/Abr, 2002.

Arendt H. A crise na educação: III e IV. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 1972.

Downloads

Publicado

2018-12-04

Edição

Seção

RELATO DE EXPERIÊNCIA