Fatores associados à Síndrome de Burnout entre profissionais intensivistas de hospital universitário.

Autores

  • Claidson Felipe Campanha Alkimim Universidade de Brasília - Núcleo de Estudos de Saúde Publica
  • Bernard Magalhães Pinto Prado
  • Danilo Lima Carreiro
  • Laura Tatiany Mineiro Coutinho
  • Marney Regina Ribeiro Lima
  • Andrea Maria Eleutério de Barros Lima Martins
  • Wagner Luiz Mineiro Coutinho
  • Ana Laura Fonseca Leite

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v8i4.1590

Resumo

Objetivo: Avaliar prevalências da Síndrome de Burnout (SB) e dimensões -exaustão emocional (EE), despersonalização (DE) e baixa realização profissional (BRP)- entre profissionais intensivistas e identificar suas associações com variáveis individuais, ocupacionais e organizacionais. Métodos: Estudo analítico entre intensivistas de hospital universitário de Montes Claros-MG. Utilizou-se para coleta de dados Maslach Burnout Inventory, Critério de Classificação Econômica Brasil e questionário “variáveis individuais, ocupacionais e organizacionais”. Resultados: As prevalências da SB e dimensões (EE-DE-BRP) foram respectivamente: 34,0%; 16,9%; 19,4% e 17,9%. Por análise multivariada registrou-se maior chance de desenvolver SB entre homens às mulheres; pessoas que identificam o trabalho como “às vezes/quase sempre/sempre” estressante àquelas que o identificam como “nunca/quase nunca” estressante; e pessoas que “não concordam e nem discordam/concordam em parte/concordam totalmente” que escolheriam outra profissão com a mesma remuneração àquelas que “discordam totalmente/em parte” na escolha de outra profissão. Maior chance de desenvolver EE: entre “solteiros/divorciados/desquitados” aos casados; entre os que têm “ruim/regular” motivação com o trabalho àqueles cuja motivação é “boa/muito boa/excelente”; e entre aqueles que percebem que “às vezes/quase sempre/sempre” as pessoas são tratadas desigualmente àqueles que percebem que “nunca/quase nunca” existe tratamento desigual. Maior chance de desenvolver DE: entre aqueles que “nunca consumiram bebida alcóolica” àqueles que “consomem/não consomem mais”; e entre aqueles com “ruim/regular” expectativa profissional àqueles com expectativa “boa/muito boa/excelente”. Conclusão: As prevalências registradas são preocupantes sendo que SB e dimensão DE associaram-se às variáveis individuais e ocupacionais e EE associou-se às variáveis individuais, ocupacionais e organizacionais.

Biografia do Autor

Claidson Felipe Campanha Alkimim, Universidade de Brasília - Núcleo de Estudos de Saúde Publica

Bacharel em Fisioterapia pelas Faculdades Unidas do Norte de Minas – FUNORTE.

Bernard Magalhães Pinto Prado

Possui graduação em Fisioterapia - Faculdades Unidas do Norte de Minas (2011); Especialista em Fisioterapia Ortopédica e Postural - Faculdades Unidas do Norte de Minas (2012); Especialista em Fisioterapia Hospitalar e Terapia Intensiva - UNIMONTES(2013); Aperfeiçoamento em Reabilitação Postural Global (RPG) - W&A Cursos (2011).

Danilo Lima Carreiro

Professor efetivo de Administração de Materiais e Logística do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas - IFNMG. Coordenador de Pesquisa e Inovação no IFNMG - Campus Pirapora (portaria 680/2015). Possui experiência na área de Gestão de pequenas empresas. Doutorando em Ciências da Saúde pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) - Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde (PPGCS). Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) - Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde (PPGCS). Pós-graduado em docência do ensino superior pelas Faculdades Integradas Pitágoras - FIPMOC (2012). Graduado em Administração pelas Faculdades Santo Agostinho - FASA (2011).

Laura Tatiany Mineiro Coutinho

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de São João Del-Rei (2001). Pós graduação em Saúde Mental e Atenção Psicossocial pela Faculdade de Saúde Ibituruna, Pós Graduação em Educação à Distância, pela Unimontes e Mestre em Ciências da Saúde pelo Programa de Pós Graduação em Ciências da Saúde da Unimontes (2013).

Marney Regina Ribeiro Lima

Graduada em Fisioterapia pela Fundação Comunitária Educacional e Cultural de Patrocínio MG(1996). Pós-graduada em Fisioterapia Respiratória pela UFMG. Coordenadora geral da Fisioterapia do Hospital Universitário Clemente Faria. Coordenadora da equipe de Fisioterapia da Fundação Dilson de Quadros Godinho. Docente na Especialização em Fisioterapia Hospitalar e Terapia Intensiva-Unimontes. Docente na graduação de Fisioterapia da Funorte.

Andrea Maria Eleutério de Barros Lima Martins

Possui graduação em Odontologia pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (1988), mestrado e doutorado em Saúde Pública (Epidemiologia) pela Universidade Federal de Minas Gerais (2001 e 2008). É professora de epidemiologia do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade Estadual de Montes Claros, Unimontes é professora do quadro permanente do Programa de pós-graduação em Ciências da Saúde (Doutorado / Mestrado) da Unimontes.

Wagner Luiz Mineiro Coutinho

Mestrado em Ciências da Saúde (área de concentração: Saúde Coletiva) pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) (2013). Graduado em Fisioterapia pela Faculdade de Fisioterapia de Patrocínio (1994). Pós-graduado em "Emergências de Saúde na Educação Inclusiva" (2005) e em "Saúde Pública com ênfase em Saúde da Família" (2010) pelas Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros (FIPMOC). Professor do Curso de Graduação em Fisioterapia das Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE). Professor do Curso de Graduação em Nutrição da Faculdade de Saúde Ibituruna (FASI). Professor orientador do Programa de Iniciação Científica da Associação Educativa do Brasil (SOEBRAS). Professor do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Fisioterapia Ortopédica e Postural da FUNORTE. Professor convidado da Especialização em Fisioterapia Hospitalar e Terapia Intensiva da Unimontes. Membro do Centro de Pesquisas da SOEBRAS. Conselheiro Científico da Revista Bionorte. Conselheiro Editorial e Científico da Revista Funorte Humanidade

Ana Laura Fonseca Leite

Possui graduação em Graduação em Fisioterapia (2000) e mestrado em avaliação das actividades físicas e desportivas(2008).Atualmente é professora - Faculdades Unidas do Norte- FUNORTE e coordenadora da equipe de fisioterapia da UTI neonatal e pediátrica do Hospital Universitário Clemente de Faria (UNIMONTES).

Downloads

Publicado

2015-02-16

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)