Prevalência de doenças crônicas não transmissíveis em idosos assistidos por equipe estratégia saúde da família no sul do Brasil.

Autores

  • Luciane Peter Grillo
  • Franciele Caleffi
  • Aline Brandão Mariath
  • Tatiana Mezadri

DOI:

https://doi.org/10.18569/tempus.v8i4.1589

Resumo

Objetivo: Avaliar a prevalência de doenças crônicas não transmissíveis em idosos assistidos por equipe de Saúde da Família (ESF), no sul do Brasil. Métodos: estudo transversal, exploratório e natureza quantitativa. A prevalência das enfermidades crônicas foi mensurada a partir dos níveis de glicose, triglicerídeos, colesterol e pressão arterial. Utilizou-se o índice de massa corporal para o diagnóstico nutricional. Para a análise das variáveis utilizou-se estatística descritiva e analítica. Resultados: Os idosos eram na maioria do sexo feminino (62%), a média de idade foi de 71,1 anos e 45% eram hipertensos. Com relação aos exames bioquímicos, 25%, 38% e 27% apresentavam valores elevados de colesterol, triglicerídeos e glicose, respectivamente. O excesso de peso predominou no sexo feminino (57%) e a eutrofia no masculino (44%). Conclusão: prevalências significantes de doenças crônicas não transmissíveis, destacando-se a hipertensão arterial, sendo que a prevalência de diabetes foi superior à encontrada na população geriátrica brasileira.

Biografia do Autor

Luciane Peter Grillo

Docente e pesquisadora da Universidade do Vale do Itajaí desde 1999 no Curso de Graduação em Nutrição e desde 2004 no Mestrado Profissional em Saúde e Gestão do Trabalho. Possui graduação em Nutrição pela Universidade Federal de Pelotas, Mestrado em Nutrição pela Universidade Federal de São Paulo e Doutorado em Ciências Aplicadas à Pediatria pela Universidade Federal de São Paulo.

Franciele Caleffi

Nutricionista formada pela Universidade do Vale do Itajaí, pós graduanda em Nutrição aplicada à Estética pelo Instituto Ana Paula Pujol. Experiência em pesquisa na área de Nutrição e Saúde, desenvolvimento de projetos com a população idosa, em estudos sobre a qualidade de vida, estado nutricional, hábitos alimentares, nível de atividade física e doenças crônicas não transmissíveis; e projeto para o estudo de síndrome metabólica em mulheres.

Aline Brandão Mariath

Possui graduação em Nutrição pela Universidade do Vale do Itajaí e Mestrado em Nutrição em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP). É especialista em Saúde da Família pela Universidade Gama Filho (2012) e em Gestão Pública pela Faculdade Integrada JK.

Tatiana Mezadri

Possui graduação em Nutrição pela Universidade do Vale do Itajaí e doutorado pela Universidade de Sevilha (Espanha) com equivalência em Ciência dos Alimentos (UFSC). Atualmente é docente e pesquisadora no Programa de Mestrado Profissional em Saúde e Gestão no Trabalho e no Curso de Nutrição da Universidade do Vale do Itajaí.

Downloads

Publicado

2015-02-16

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS