Tempus Actas de Saúde Coletiva //www.tempus.unb.br/index.php/tempus As Diretrizes de Avaliação da TEMPUS consideram inicialmente o foco da revista (com destaque para epidemiologia; saúde e sua discussão nas ciências sociais e humanas; educação e promoção da saúde; Bioética, tecnologia da informação em saúde, comunicação c pt-BR A <b>Tempus</b> garante critérios rigorosos, por meio de avaliação sistemática. Os autores se responsabilizam pela veracidade e ineditismo do trabalho cabendo a eles a cessão de direitos de publicação à revista. A confiabilidade dos conteúdos e a marca própria de apresentação tem como objetivo uma comunicação personalizada, adaptada aos padrões da revista, na medida em que adota critérios de excelência exigidos por seus usuários e especialistas, considerando os rigores da comunicação científica. Os autores devem especificar sua contribuição individual na concepção, delineamento, execução do trabalho, análise ou interpretação dos dados, redação e aprovação final do manuscrito. Incluir Fontes de financiamento e de apoio logístico das pesquisas. Ao final da submissão do artigo, os autores devem enviar uma declaração de cessão de direitos de publicação à Revista TEMPUS , assinada e no formato PDF (Portable Document Format ): <a target="_blank" href=http://www.nesp.unb.br/images/M_images/modeloderesponsabilidade.pdf> Modelo da declaração de cessão de direitos.</a> valeriamendonca@gmail.com (Profa. Dra. Ana Valéria Machado Mendonça (Editora Executiva)) jcesar@unb.br (Prof MSc Júlio César Cabral) Sex, 03 Jul 2020 07:42:12 +0000 OJS 3.2.1.0 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Sala de situação em saúde como estratégia de vigilância local da COVID-19: relato de experiência no oeste baiano //www.tempus.unb.br/index.php/tempus/article/view/2843 <p>A velocidade de expansão dos casos confirmados de COVID-19 exige a organização de estratégias de vigilância local para planejar ações de enfrentamento. Trata-se de relato de experiência do PET-Saúde Interprofissionalidade da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), na elaboração de Sala de Situação em Saúde (SDSS) da COVID-19 com quatro Equipes de Saúde da Família (EqSF) parceiras do programa em município de referência macrorregional do oeste baiano. A SDSS foi construída de forma remota, precedida de discussão coletiva referente ao seu conceito, aplicações, condicionantes histórico-político-institucional, qualidade dos registros e dados em saúde, dimensões para implantar uma SDSS e seus desafios. Em sequência, foram coletadas informações dos usuários presentes nas fichas de notificação dos casos suspeitos e confirmados de COVID-19 das EqSF, registrados no período entre março e agosto de 2020, possibilitando a construção do banco de dados com apoio dos profissionais e gerentes das EqSF por meio de formulário eletrônico. Os dados foram apresentados e debatidos com diferentes atores da Universidade, da gestão e da assistência, em análise comparativa dos quatros territórios adscritos. Destacaram-se como desafios as fragilidades no registro das informações pelas EqSF nas fichas de notificação e o grande volume de informações a serem transferidas do formato manual para o banco de dados eletrônico. A SDSS teve como potencialidades a troca coletiva de saberes e vivências, o reconhecimento dos nós críticos do processo de trabalho e das necessidades de reorganização das ações, revelando-se como potente estratégia de vigilância, planejamento e gestão da situação local da COVID-19.</p> Laylla Mirella Galvao Azevêdo Azevêdo, Carla Cristina Santos Ribeiro, Islane Leopoldina dos Santos Silva, Yasmim de Santana Andrade, Andrey Santos de Jesus, Izamara dos Reis Santos, Ítalo Ricardo Santos Aleluia, Márcia Regina de Oliveira Pedroso, Bruno Klecius Andrade Teles, Maria Lidiany Tributino de Sousa Copyright (c) //www.tempus.unb.br/index.php/tempus/article/view/2843 População em Situação de Rua: Saúde e Territórios vivenciais. //www.tempus.unb.br/index.php/tempus/article/view/2840 <p>A população em situação de rua vem crescendo de forma avassaladora, principalmente nos centros urbanos, tornando-se um importante fenômeno social e humano. <strong>Objetivo:</strong> apreender a percepção e / ou compreensão da população em situação de rua sobre saúde no território vivencial, localizado na rodoviária de Brasília, DF e entornos. <strong>Método: </strong>pesquisa - ação - participante, que tem como base a ideia de uma relação viva e dialética entre pesquisa e ação por meio de encontros com pessoas que estão em situação de rua no território da rodoviária. Utilizou-se amostra acidental ou de conveniência e um roteiro com perguntas abertas: “O que é saúde para você?” e “Como você cuida da sua saúde?”.<strong> Resultados:</strong> coletadas 70 percepções que foram agrupadas em categorias analíticas relacionadas aos determinantes sociais de saúde: trabalho, renda, moradia, alimentação, segurança e sobre formas do cuidar da saúde. <strong>Considerações finais:</strong> a população em situação de rua tem a representação da saúde como valor social do cidadão determinada e <a href="#_ftn1" name="_ftnref1"><sup>[1]</sup></a>condicionada pelas condições socioeconômicas, ambientais, do cuidar-se, da auto-imagem e do viver. É imperativo que as políticas públicas sejam materializadas no território dessas pessoas, buscando a garantia do direito à saúde e ao viver.</p> <p><strong>Descritores:</strong> População em Situação de Rua; Saúde.</p> <p><a href="#_ftnref1" name="_ftn1"></a></p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p><a href="#_ftnref1" name="_ftn1"></a>&nbsp;</p> Beatriz Silva Martins Copyright (c) //www.tempus.unb.br/index.php/tempus/article/view/2840 jkljk //www.tempus.unb.br/index.php/tempus/article/view/2839 aaaaaaa1 aaaaaaa1 Copyright (c) //www.tempus.unb.br/index.php/tempus/article/view/2839 SOBRE LIDERAR UM GRUPO DE PESQUISA NO ENSINO SUPERIOR //www.tempus.unb.br/index.php/tempus/article/view/2838 <p><strong>Objetivo</strong>: descrever as atividades de liderança do Grupo de Pesquisa Conhecimento, Enfermagem e Saúde das Populações no biênio 2018/2019. <strong>Método</strong>: Trata-se de um relato de experiência baseado nos registros de atas do grupo. <strong>Resultados</strong>: O grupo foi criado há sete anos, e desde então, desenvolve atividades para impulsionar a ciência e tecnologia na região do semiárido nordestino. Com reuniões mensais, vem realizando cursos e eventos para aprimoramento dos conhecimentos em enfermagem, o que traz benefícios para os alunos de graduação e em suas produções de Trabalhos de Conclusão de Curso, Projetos de iniciação científica, e outros. <strong>Considerações finais: </strong>É preciso encorajar a participação dos alunos de graduação e a criação de uma pós-graduação para que o grupo consolide e se firme na produção científica no cenário nacional.</p> Sara, Diana, Rodrigo, Kalyane Copyright (c) //www.tempus.unb.br/index.php/tempus/article/view/2838