A EQUIPE DE SAÚDE BUCAL E AS PRÁTICAS DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE NO TERRITÓRIO

Júlya Karolina Gomes, Ana Lúcia Guerra de Aquino Albuquerque, Inês Patrícia Guedes Souto, Márcia Maria Dantas Cabral Melo

Resumo


Objetivou-se analisar as práticas de vigilância em saúde de equipes de saúde bucal (eSB) da Estratégia Saúde da Família do município de Jaboatão dos Guararapes/PE. Estudo descritivo com amostra representada pelos dentistas (31) das eSB de três regionais de saúde. Para coleta de dados, realizou-se validação do instrumento com as entrevistas aplicadas face a face. As análises foram descritivas. Participaram 27 dentistas. Observou-se práticas de vigilância das eSB no território, contudo menos da metade possui vínculos fortes(famílias, 48,1%; organizações comunitárias, 18,5%). Realizam às vezes levantamentos epidemiológicos (51,9%) com prioridade para cárie (51,9%). As ações promocionais/educativas de abordagem comunitária (74,1%) são realizadas com metodologias conservadoras (71,7%) prevalecendo o grupo alvo escolar (74,2%). Mas existe atuação integrada com demais membros da equipe para planejamento, ações educativas, busca ativa e visitas domiciliares. Conclui-se que as práticas de vigilância em saúde bucal no território ainda são restritas, mas com esforços de ampliação e atuação interprofissional como requerido.

Palavras-chave


Saúde bucal; Atenção básica; Processo de trabalho; Vigilância em Saúde;

Texto completo:

PDF

Referências


Pinto DS, Pereira BB, Limongi JE. Avaliação do conhecimento sobre Vigilância em Saúde entre os profissionais do Sistema Único de Saúde, Uberlândia, Minas Gerais. J. Health Biol Sci. [internet]. 2017. [Citado em: 27 fev. 2019]; 5(1):37-43. doi: http://dx.doi.org/10.12662/2317-3076jhbs.v5i1.1046.p37-43.2017.

Oliveira CM, Casanova AO. Vigilância da saúde no espaço de práticas da atenção básica. Ciência & Saúde Coletiva [internet]. 2009. [Acesso em: 27 fev. 2019]; 14(3):929-936. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/csc/2009.v14n3/929-936/pt

Teixeira CF, Paim JS, Vilasbôas AL. SUS, modelos assistenciais e vigilância da saúde. In: Rozenfeld S, organizadora. Fundamentos da vigilância sanitária. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ; 2000, p. 49-60.

Faria LS, Bertolozzi MR. A vigilância na Atenção Básica à Saúde: perspectivas para o alcance da Vigilância à Saúde. Rev Esc Enferm USP [internet]. 2010 [citado em 27 fev. 2019]; 44(3):789-95. doi: https://doi.org/10.1590/S0080-62342010000300034.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Diretrizes nacionais da vigilância em saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2010. (Série B. Textos Básicos de Saúde) (Série Pactos pela Saúde 2006, 13).

Monken M, Barcellos C. Vigilância em saúde e território utilizado: possibilidades teóricas e metodológicas. Cad. Saúde Pública [internet]. 2005 [citado em 27 fev. 2019]; 21(3):898-906. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2005000300024.

Mattos GCM, Ferreira EF, Leite ICG, Greco RM. A inclusão da equipe de saúde bucal na Estratégia Saúde da Família: entraves, avanços e desafios. Ciência & Saúde Coletiva [internet]. 2014 [citado em 27 fev. 2019]; 19(2):373-382. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232014192.21652012.

Goldstein RA, Barcellos C, Magalhães MAFM, Gracie R, Viacava F. A experiência de mapeamento participativo para a construção de uma alternativa cartográfica para a ESF. Ciência & Saúde Coletiva [internet]. 2013 [citado em 27 fev. 2019]; 18(1):45-56. Disponível em: https://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S1413-81232013000100006&script=sci_arttext&tlng=en

Chaves SCL, Almeida AMFL, Rossi TRA, Santana AF, Barros SG, Santos CML. Política de Saúde Bucal no Brasil 2003-2014: cenário, propostas, ações e resultados. Ciência & Saúde Coletiva [internet]. 2017 [citado em 27 fev. 2019]; 22(6):1791-1803. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232017226.18782015.

Moysés SJ, Pucca Junior GA, Paludetto Junior M, Moura L. Avanços e desafios à Política de Vigilância à Saúde Bucal no Brasil. Rev Saúde Pública [internet]. 2013 [citado em 27 fev. 2019]; 47(Supl 3):161-7. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-8910.2013047004329.

Machado FCA, Souza GCA, Noro LRA. Indicators for teenager's oral health's surveillance. Ciência & Saúde Coletiva [internet]. 2018 [citado em 27 fev. 2019]; 23(1):187-202. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232018231.20842015.

Sá CR, Kuhnen M, Santos IF, Arruda MP, Toassi RFC. PLANEJAMENTO EM SAÚDE BUCAL NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: DA TEORIA À PRÁTICA [internet]. 2015. [Acesso em: 27 fev. 2019]. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/aps/article/view/15097

Secretaria Municipal de Saúde de Jaboatão dos Guararapes. Coordenação Municipal de Saúde Bucal. Saúde Bucal. 2017. 21 slides.

Garrido D, Huanca C, Oliveira A, Morita M, Haddad A. Feminisation of Dentistry in Brazil from the Perspective of a MOOC-Type Distance Course - A Short Report. J Int Soc Telemed eHealth [Internet]. 9Mar.2019 [cited 06Jun.2019]; 7:e6 (1-). Disponível em: https://journals.ukzn.ac.za/index.php/JISfTeH/article/view/692

Casotti E, Jorge RC, Almeida PF, Santos AM. Atenção em saúde bucal em municípios sede de Regiões de Saúde do estado da Bahia. Diversitates Int J [internet]. 2017 [citado em 06 jun 2019]; 09(1): 46-60. Disponível em: http://diversitates.uff.br/index.php/1diversitates-uff1/article/view/172 .

Silva CTC, Melo MMDC, Katz CRT, Carvalho EJA, Souza FB. Incorporação da técnica de restauração atraumática por equipes de saúde bucal da atenção básica à saúde do Recife/PE. Arq Odontol, Belo Horizonte [internet]. 2018 [citado em 06 jun 2019]; 54(06). doi: http://dx.doi.org/10.7308/aodontol/2018.54.e06

Matos IB; Toassi RFC; Oliveira MC. Profissões e ocupações de saúde eo processo de feminização: tendências e implicações. Athenea digital [internet]. 2013 [citado em 06 jun 2019]; 13(2):239-244. Disponível em: https://www.raco.cat/index.php/Athenea/article/view/291668

Baldani MH, Ribeiro AE, Gonçalves JRSN, Ditterich RG. Processo de trabalho em saúde bucal na atenção básica: desigualdades intermunicipais evidenciadas pelo PMAQ-AB. Saúde Debate, Rio de Janeiro [Internet]. 2018 [citado em 06 jun 2019]; 4(1):145-162. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0103-11042018S110

Costa RM. O trabalho em equipe desenvolvido pelo cirurgião-dentista na Estratégia Saúde da Família: expectativas, desafios e precariedades [internet]. [S.l.]; 2012. [Acesso em: 3 jul. 2012]. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/434

Scherer CI, Scherer MDA, Chaves SCL, Menezes ELC. O trabalho em saúde bucal na Estratégia Saúde da Família: uma difícil integração?. Saúde debate, Rio de Janeiro [internet]. 2018 [citado em 06 jun 2019]; 42(02). doi: http://dx.doi.org/10.1590/0103-11042018s216

Pimentel FC, Albuquerque PC, Martelli PJL, Souza WV, Acioli RML. Caracterização do processo de trabalho das equipes de saúde bucal em municípios de Pernambuco, Brasil, segundo porte populacional: da articulação comunitária à organização do atendimento clínico. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro [internet]. 2012 [citado em 06 jun 2019]; 28(Sup):S146-S157. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/csp/2012.v28suppl0/s146-s157/pt/

Esmeraldo GROV, Oliveira LC, Esmeraldo Filho CE, Queiroz DM. TENSÃO ENTRE O MODELO BIOMÉDICO E A ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: A VISÃO DOS TRABALHADORES DE SAÚDE. Rev. APS. [internet]. 2017 [citado em 06 jun 2019]; 20(1):98-106. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/aps/article/view/15786

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde Bucal. Brasília: Ministério da Saúde, 2008. 92 p. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos) (Cadernos de Atenção Básica; 17)

Almeida GCM, Ferreira MAF. Saúde bucal no contexto do Programa Saúde da Família: práticas de prevenção orientadas ao indivíduo e ao coletivo. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro [internet]. 2008 [citado em 06 jun 2019]; 24(9):2131-2140. Disponível em: https://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2008000900019

Brasil. E-SUS Sistema Integrado de Gestão da Saúde [homepage na internet]. Ficha de Atendimento Odontológico Individual.[acesso em 11 jun 2019]. Disponível em: http://www.rgesus.com.br/index.php/esus.html

Fagundes DM, Thomaz EBAF, Queiroz RCS, Rocha TAH, Silva NC, Vissoci JRN et al. Diálogos sobre o processo de trabalho em saúde bucal no Brasil: uma análise com base no PMAQ-AB. Cad. Saúde Pública [internet]. 2018 [citado em 11 jun 2019]; 34(9):383-391. doi: https://doi.org/10.1590/0102-311X00049817

Sityá D, Giacomini G, Sangioni L, Sendtko C, Unfer B. Análise de programas escolares de saúde bucal no Brasil. RFO [Internet]. 24abr.2015 [citado 12 jun 2019];19(3). Disponível em: http://seer.upf.br/index.php/rfo/article/view/3943

Mendes JDR, Freitas CASL, Dias MSA, Bezerra MM, Netto JJM, Fernandes DR. ANÁLISE DAS ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE REALIZADAS PELAS EQUIPES DE SAÚDE BUCAL. Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza [internet]. 2017 [citado em 12 jun 2019]; 30(1): 13-21. doi: https://doi.org/ 10.5020/18061230.2017.p13

Tavares RP, Costa GC, Falcão MLM, Cristino PS. A organização do acesso aos serviços de saúde bucal na estratégia de saúde da família de um município da Bahia. Saúde em Debate [internet]. 2013 [citado em 12 jun 2019]; 37: 628-635. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/sdeb/2013.v37n99/628-635/pt/




DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v14i1.2637



Direitos autorais 2020 Tempus Actas de Saúde Coletiva

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________