Percepções maternas sobre a assistência nutricional no acompanhamento interdisciplinar do pré-natal e puerpério.

Andreia Marinho Barbosa, Linda Susan de Almeida Araújo, Flavia Alessandra de Melo Guerra, Virginia Matias de Oliveira Barbosa

Resumo


Os Programas de Residência Multiprofissionais em Saúde (RMS) possibilitam o aumento do escopo de profissões na Estratégia de Saúde da Família (ESF), permitindo um acompanhamento pré-natal integral e interdisciplinar. Nesta perspectiva, o estudo visa descrever as percepções maternas sobre a assistência nutricional fornecida através do acompanhamento interdisciplinar do pré-natal em uma Unidade de Saúde da Família (USF) campo da RMS. O estudo é de campo descritivo exploratório de abordagem qualitativa, desenvolvido nos meses de novembro e dezembro de 2016, na USF São José II, em João Pessoa-PB, com 15 mães que foram acompanhadas de 3 a 6 interconsultas entre março/2015-março/2016. O material empírico foi obtido mediante a técnica de entrevista semiestruturada, com base em um roteiro contendo questões relacionadas com o objetivo do estudo, utilizando-se o sistema de gravação. Para interpretação e análise de conteúdo, utilizou-se o proposto por Bardin(2011). O trabalho foi aprovado pelo CEP/FCM-PB de acordo com a certidão nº 044/2016. Todas as participantes assinaram o TCLE. Da análise, emergiram as categorias: “Influência da assistência nutricional no controle de ganho de peso e sinais/sintomas relacionados à gravidez”; “Mudanças de hábitos alimentares a partir de orientações nutricionais fornecidas durante o acompanhamento pré-natal”; “Importância do acompanhamento interdisciplinar na prevalência de aleitamento materno e na alimentação complementar saudável”. As percepções maternas mostraram as potencialidades do acompanhamento pré-natal de maneira interdisciplinar e a importância da assistência nutricional para a saúde materno-infantil.

Palavras-chave


Saúde Materno-Infantil; Estratégia Saúde da Família; Nutrição na Gravidez

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Souza JP. Mortalidade materna e desenvolvimento: a transição obstétrica no Brasil. Rev Bras Ginecol Obstet. 2013 dec;35(12):533-5.

Brasil. Sistema de Informações sobre Mortalidade – SIM [Internet]. Brasil: SIM; 2016 [citado em 2016 mar 15]. Disponível em: http://www2.datasus.gov.br/.

Carvalho ML, Almeida CAL, Marques AKL, Lima FF, Amorim LMM, Souza JML. Prevenção da mortalidade materna no pré-natal: uma revisão integrativa. R. Interd. 2015 abr-jun;8(2):178-184.

Brasil. Atenção ao pré-natal de baixo risco. Brasília: Ministério da Saúde; 2012. 318p.

Ministério da Saúde (Brasil). Portaria nº 1.067/GM, de 4 de julho de 2005. Institui a Política Nacional de Atenção Obstétrica e Neonatal e dá outras providências. Brasília: Ministério da Saúde; 2005 [citado em 2016 mar 15]. Disponível em: http://www.vigilanciasanitaria.sc.gov.br/.

Maia DB, Sousa ETG, Gama RM, Lima JC, Rocha PCF, Sassaki Y. Atuação interdisciplinar na Atenção Básica de Saúde: a inserção da Residência Multiprofissional. Sau. & Transf. Soc. 2013;4:103-10.

Ceron MI, Barbieri A, Fonseca LM, Fedosse E.. Assistência pré-natal na percepção de puérperas provenientes de diferentes serviços de saúde. Rev. CEFAC 2013 mai-jun;15(3):653-62.

Trevisan ML, Lewgoy AMB. Atuação interdisciplinar em grupo de puérperas: percepção das mulheres e seus familiares. Rev Textos Contextos 2009 jul-dez;8(2):255-73.

Matos E, Pires DEP, Campos GWS. Relações de trabalho em equipes interdisciplinares: contribuições para a constituição de novas formas de organização do trabalho em saúde. Rev. Bras. Enferm. 2009 nov-dez;62(6):863-9.

Ministério da Educação; Ministério da Saúde (Brasil). Portaria Interministerial n. 1.077, de 12 de novembro de 2009. Dispõe sobre a Residência Multiprofissional em Saúde e a Residência em Área Profissional da Saúde e institui o Programa Nacional de Bolsas para Residências Multiprofissionais e em Área Profissional da Saúde e a Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde. Brasília: Diário Oficial da União. 13 nov. 2009; (Seção I): 7. [citado em 2016 mar 15]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/

Nascimento DDG, Oliveira MAC. Competências profissionais e o processo de formação na residência multiprofissional em Saúde da Família. Saúde Soc. 2010 out-dez;19(4):814-827.

Brasil. Residência multiprofissional em saúde: experiências, avanços e desafios. Brasília: Ministério da Saúde; 2006. 414p.

Minayo MCS, Assis SG, Souza ER. Avaliação por triangulação de métodos: abordagem de programas sociais. 4. ed. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2014. 244p.

Fontanella BJB, Ricas J, Turato ER. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cad. Saúde Pública 2008 jan;24(1):17-27.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2011. 229p.

Padilha PC, Saunders C, Machado RCM, Silva CL, Bull A, Sally EOF, Accioly E. Associação entre o estado nutricional pré-gestacional e a predição do risco de intercorrências gestacionais. Rev Bras Ginecol Obstet. 2007;29(10):511-8.

Libera BD, Saunders C, Santos MMAS, Rimes KA, Brito FRSS, Baião MR. Avaliação da assistência pré-natal na perspectiva de puérperas e profissionais de saúde. Ciência & Saúde Coletiva 2011;16(12):4855-4864.

Queroz AA. Conhecendo as alterações da gestação para um melhor cuidar no pré-natal. [Trabalho de Conclusão de Curso]. [Brumadinho – MG]: Universidade Federal de Minas Gerais; 2012. 33p.

Vieira SM, Bock LF, Zocche DA, Pessota CU. Percepção das puérperas sobre a assistência prestada pela equipe de saúde no pré-natal. Texto and Contexto Enfermagem. 2011;20:255-62.

Souza NL, Araújo ACPF, Azevedo GD, Jerônimo SMB, Barbosa LM, Sousa NML. Percepção materna com o nascimento prematuro e vivência da gravidez com pré-eclampsia. Rev Saúde Pública 2007;41(5):704-10.

Fazio ES, Nomura RMY, Dias MCG, Zugab M. Consumo dietético de gestantes e ganho

ponderal materno após aconselhamento nutricional. Rev Bras Ginecol Obstet. 2011;33(2):87-92

Junges AF, Ressel LB, Monticelli M. Entre desejos e possibilidades: práticas alimentares de gestantes em uma comunidade urbana no sul do Brasil. Texto Contexto Enferm. 2014 Abr-Jun;23(2):382-90.

Barbieri A, Fonseca LM, Ceron MI, Fedosse E. Análise da atenção pré-natal na percepção de puérperas. Distúrb Comum. 2012 abr;24(1):29-39.

Adolpho CVT, Dias IMAV, Aveiro MC, Vasconcelos ACF. A percepção do usuário sobre a abordagem de uma equipe de residentes multiprofissionais. Saúde Debate 2015 out-dez;40(107):1117-1126.

Cabral FB, Hirt LM, Van der Sand ICP. Atendimento pré-natal na ótica de puérperas: da medicalização à fragmentação do cuidado. Rev Esc Enferm USP 2013;47(2):281-7.




DOI: http://dx.doi.org/10.18569/tempus.v10i4.2047



Direitos autorais 2018 Tempus Actas de Saúde Coletiva

Revista Tempus - Actas de Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829).
Revista coordenada pela Unidade de Tecnologias da Informação e Comunicação em Saúde (UTICS) do Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) da Universidade de Brasília (UnB).
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported License.
____________________________________

____________________________________